Main Menu

Treinamento Prevenção ao COVID 19 Coronavirus OSHA 3990


Treinamento Prevenção ao COVID 19 Coronavirus OSHA 3990

Estamos empenhados em contribuir de alguma forma para o Combate ao COVID 19 e para isso preparamos um treinamento específico a Prevenção e Combate ao Coronavírus com base na OSHA 3990. 

Preparamos duas modalidades:

  • Para colaboradores: Carga horária 02 horas - Visa orientar a seguirem as diretrizes de segurança e prevenção adotadas pela empresa e por autoridades;
  • Para gestores/SESMT: Carga horária 04 horas - Visa orientar e qualificar para elaboração de um plano de gestão e combate ao COVID 19 definindo as melhores práticas e regras específica para a realidade da empresa.

Capacite seus colaboradores a se prevenirem contra a infecção e o combate ao novo Coronavirus COVID 19 com base nas diretrizes da OSHA 3990.

PÚBLICO ALVO: profissionais da saúde, técnicos em segurança do trabalho, engenheiros de segurança do trabalho, gestores, recursos humanos, profissionais dos setores produtivos, todos os colaboradores em geral.

Neste momento este treinamento pode ser aplicado preferencialmente via vídeo conferencia com instrutor ao vivo, ou na impossibilidade/preferência pode ser aplicado presencialmente.

O Departamento de Trabalho dos EUA Administração de Saúde e Segurança Ocupacional desenvolveu uma diretriz específica sobre o combate a COVID 19 através da OSHA 3990-03 2020 - Diretrizes para a Preparação dos Locais de Trabalho para o COVID-19.

 

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

  • Introdução
  • Legislação
  • Sintomas
  • Disseminação
  • Consequências do Vírus no Locais de Trabalho
  • Classificação da Exposição
  • Ações de Prevenção; Definição, Controles de Engenharia e Controles Administrativos
  • Equipamentos de Proteção Individual; Seleção, Utilização e Descarte
  • Viagens Internacionais
  • Ações de Prevenção em Áreas de Vivência
  • Ações de Prevenção no Deslocamento – Casa X Trabalho
  • Ações de Prevenção no Lar 
  • Sobre o COVID-19
  • Como um surto do COVID-19 pode afetar os locais de trabalho
  • Etapas que todos os empregadores podem adotar para reduzir o risco de exposição dos trabalhadores à SARS-CoV-2
  • Classificação da exposição do trabalhador à SARS-CoV-2
  • Trabalhos classificados com menor risco de exposição, risco de exposição média, alto ou muito alto risco de exposição
  • O que fazer para proteger os trabalhadores

Estamos preparados para treinar os colaboradores nestas diretrizes e contribuir para a prevenção da sua equipe além de juntos contribuirmos para um bem maior de saúde pública. 

Conheça abaixo os principais pontos a serem abordados no Treinamento Prevenção ao COVID 19 Coronavirus OSHA 3990

Lei de Segurança e Saúde Ocupacional de 1970
“Garantir condições de trabalho seguras e saudáveis para os trabalhadores (homens e mulheres); autorizando a aplicação das normas desenvolvidas nos termos da lei; ajudando e incentivando os Estados em seus esforços para garantir condições de trabalho seguras e saudáveis fornecendo pesquisa, informação, educação e treinamento no campo da segurança e saúde no trabalho.”

Esta orientação não é um padrão ou regulamento e não cria novas obrigações legais. Ela contém recomendações e descrições dos padrões obrigatórios de saúde e segurança. As recomendações são de natureza consultiva, informativa e têm a finalidade de ajudar os empregadores a fornecer um local de trabalho seguro e saudável.

 A Lei de Segurança e Saúde Ocupacional exige que os empregadores cumpram os padrões e regulamentos de saúde e segurança estão na portaria 3.214 do MTE através das Normas Regulamentadoras (Brasil).

Diretrizes para a Preparação dos Locais de Trabalho para o COVID-19

Introdução
A Doença do Coronavírus 2019 (COVID-19) é uma doença respiratória causada pelo vírus SARS-CoV-2. Ela se espalhou da China para muitos outros países ao redor do mundo, incluindo os Estados Unidos. Dependendo da gravidade dos impactos internacionais do COVID-19, as condições de surto - incluindo as que atingem o nível de uma pandemia - podem afetar todos os aspectos da vida cotidiana, incluindo viagens, comércio, turismo, fornecimentos de comida e os mercados financeiros.

Para reduzir o impacto das condições de surto do COVID-19 nas empresas, trabalhadores, clientes e no público, é importante que todos os empregadores se planejem agora o COVID-19. Para os empregadores que já se planejaram para pandemias de influenza, o planejamento do COVID-19 pode envolver a atualização dos planos para lidar com riscos de exposição específicos, fontes de exposição, rotas de transmissão e outras características únicas do SARS-CoV-2 (isto é, em comparação com os vírus da gripe pandêmica). Os empregadores que não se prepararam para eventos de pandemia devem preparar para si mesmos e para seus trabalhadores com a maior antecedência possível, o possível agravamento das condições do surto. A falta de planejamento de continuidade pode resultar em uma cascata de falhas, uma vez que os empregadores tentam enfrentar os desafios do COVID-19 com recursos insuficientes e trabalhadores que podem não ser adequadamente treinados para os trabalhos que podem ter que executar em condições de pandemia.

Sobre o COVID-19

Sintomas do COVID-19

A infecção pelo SARS-CoV-2, o vírus que causa o COVID-19, pode causar doenças que variam de leve a grave e, em alguns casos, pode ser fatal. Os sintomas geralmente incluem febre, tosse e falta de ar. Algumas pessoas infectadas com o vírus relataram outros sintomas não respiratórios. Outras pessoas, conhecidas como casos assintomáticos, não apresentaram nenhum sintoma.

De acordo com o CDC, os sintomas do COVID-19 podem aparecer em apenas 2 dias ou até 14 dias após a exposição.

Como o COVID-19 se espalha

Embora os primeiros casos com humanos do COVID-19 provavelmente tenham resultado da exposição a animais infectados, as pessoas infectadas podem espalhar o SARS-CoV-2 para outras pessoas.

Como um surto do COVID-19 pode afetar os locais de trabalho.

Semelhante aos vírus da gripe, o SARS-CoV-2, o vírus que causa o COVID-19, tem o potencial de causar extensos surtos. Sob condições associadas à disseminação generalizada de pessoa para pessoa, várias áreas dos Estados Unidos e de outros países podem sofrer impactos ao mesmo tempo. Na ausência de uma vacina, um surto também pode ser um evento prolongado. Como resultado, os locais de trabalho podem enfrentar:

■ Absenteísmo. Os trabalhadores podem ter que se ausentar, pois estão doentes; serão os cuidadores de familiares doentes; serão os cuidadores das crianças se as escolas ou creches forem fechadas; terão pessoas com risco em casa, como membros da família imunocomprometidos; ou tem medo de ir trabalhar devido ao medo de uma possível exposição.

■ Mudança nos padrões de comércio. É provável que a demanda do consumidor por itens relacionados à prevenção de infecções (por exemplo, respiradores) aumente significativamente, enquanto o interesse do consumidor por outros bens pode diminuir. Os consumidores também podem alterar os padrões de compras devido a um surto do COVID-19. Os consumidores podem tentar fazer compras fora do horário de pico para reduzir o contato com outras pessoas, mostrar maior interesse nos serviços de entrega em domicílio ou preferir outras opções, como serviço drive-through, para reduzir o contato pessoa a pessoa.

■ Fornecimento / entrega interrompida. As entregas de itens de áreas geográficas severamente afetadas pelo COVID-19 podem ser atrasadas ou canceladas com ou sem notificação.

Etapas que todos os empregadores podem adotar para reduzir o risco de exposição dos trabalhadores à SARS-CoV-2

Esta seção descreve as etapas básicas que todo empregador pode adotar para reduzir o risco de exposição do trabalhador ao SARS-CoV2, o vírus que causa o COVID-19, no local de trabalho. As seções posteriores desta orientação - incluindo as que se focam em trabalhos classificados como de baixo, médio, alto e muito alto risco de exposição - fornecem recomendações específicas para os empregadores e trabalhadores em categorias específicas de risco.

Desenvolver um plano de prontidão e resposta a doenças infecciosas

Se ainda não existir, desenvolver um plano de preparação e resposta a doenças infecciosas que possa ajudar a orientar ações de proteção contra o COVID-19.

Fique a par das orientações das agências de saúde federais, estaduais, locais, tribais e/ou territoriais e considere como incorporar essas recomendações e recursos nos planos específicos do local do trabalho.

Os planos devem considerar e abordar os níveis de risco associados a vários locais de trabalho e tarefas que os trabalhadores executam nesses locais. Tais considerações podem incluir:

■ Onde, como e a quais fontes de SARS-CoV-2 os trabalhadores podem estar expostos, incluindo:
 O público em geral, clientes e colegas de trabalho; e
 Indivíduos doentes ou pessoas com particularmente alto risco de infecção (por exemplo, viajantes internacionais que visitaram locais com transmissão do COVID-19 prolongada e contínua, profissionais de saúde que tiveram exposições desprotegidas com pessoas conhecidas por terem ou serem suspeitas de ter COVID -19).
■ Fatores de risco não ocupacionais em casa e na comunidade.

Prepare-se para implementar medidas básicas de prevenção de infecções

Para a maioria dos empregadores, a proteção dos trabalhadores dependerá da ênfase em medidas básicas de prevenção de infecções. Conforme apropriado, todos os empregadores deverão implementar boas práticas de higiene e controle de infecções, incluindo:

■ Promover a lavagem frequente e completa das mãos, inclusive o fornecimento aos trabalhadores, clientes e visitantes do local de trabalho de um local para lavar as mãos. Caso o sabão e água corrente não estejam disponíveis imediatamente, fornecer esfregões para as mãos à base de álcool que contenham pelo menos 60% de álcool.

■ Incentivar os trabalhadores a ficar em casa se estiverem doentes.

■ Incentivar a etiqueta respiratória, incluindo em relação a tosses e espirros.

Desenvolva políticas e procedimentos para pronta identificação e isolamento de pessoas doentes, se apropriado

■ A rápida identificação e isolamento de indivíduos potencialmente infecciosos é uma etapa crítica na proteção dos trabalhadores, clientes, visitantes e outras pessoas no local de trabalho.
■ Os empregadores deverão informar e incentivar os funcionários a se auto monitorarem quanto a sinais e sintomas do COVID-19, se suspeitarem de uma possível exposição.
■ Os empregadores deverão desenvolver políticas e procedimentos para que os funcionários relatem quando estão doentes ou apresentam sintomas do COVID-19.

Desenvolver, implementar e comunicar sobre flexibilidades e proteções no local de trabalho

■ Incentivar ativamente os funcionários doentes a ficarem em casa.
■ Certificar que as políticas de licença médica sejam flexíveis e consistentes com as orientações de saúde pública e que os funcionários estejam cientes dessas políticas.
■ Conversar com empresas que fornecem à sua empresa funcionários contratados ou temporários sobre a importância de os funcionários doentes ficarem em casa e incentive-os a desenvolver políticas de licença não punitiva.

Implementar controles do local de trabalho

Os profissionais de saúde e segurança ocupacional utilizam uma estrutura chamada “hierarquia de controles” para selecionar maneiras de controlar os riscos no local de trabalho. Em outras palavras, a melhor maneira de controlar um perigo é removê-lo sistematicamente do local de trabalho, em vez de confiar nos trabalhadores para reduzir sua exposição.

Durante um surto de COVID-19, quando não é possível eliminar o risco, as medidas de proteção mais eficazes são (listadas da mais eficaz à menos eficaz): controles de engenharia, controles administrativos, práticas de trabalho seguras (um tipo de controle administrativo) e EPI. Existem vantagens e desvantagens para cada tipo de medida de controle ao considerar a facilidade de implementação, eficácia e custo.

Na maioria dos casos, será necessária uma combinação de medidas de controle para proteger os trabalhadores da exposição ao SARS-CoV-2.

Controles de Engenharia

Os controles de engenharia envolvem o isolamento dos funcionários dos riscos relacionados ao trabalho. Nos locais de trabalho onde são apropriados, esses tipos de controles reduzem a exposição a riscos sem depender do comportamento do trabalhador e podem ser a solução mais econômica para implementação. Os controles de engenharia para o SARS-CoV-2 incluem:

■ Instalação de filtros de ar de alta eficiência.
■ Aumento das taxas de ventilação no ambiente de trabalho.
■ Instalação de barreiras físicas, como proteções de plástico transparente

Controles Administrativos

Os controles administrativos exigem ação do trabalhador ou empregador. Normalmente, os controles administrativos são alterações nas políticas ou procedimentos de trabalho para reduzir ou minimizar a exposição a um perigo. Exemplos de controles administrativos para o SARS-CoV-2 incluem:

■ Incentivar os trabalhadores doentes a ficar em casa.
■ Minimizar o contato entre funcionários e clientes, substituindo as reuniões presenciais por comunicações virtuais e implementando o teletrabalho, se possível.
■ Estabelecer dias alternados ou turnos extras que reduzam o número total de funcionários em uma instalação em um determinado momento, permitindo que eles mantenham distância um do outro enquanto mantêm uma semana de trabalho completa no local.

Práticas de Trabalho Seguro

Práticas de trabalho seguro são tipos de controles administrativos que incluem procedimentos para o trabalho seguro e adequado, usados para reduzir a duração, frequência ou intensidade da exposição a um risco. Exemplos de práticas de trabalho seguro para SARS-CoV-2 incluem:

■ Fornecer recursos e um ambiente de trabalho que promova a higiene pessoal. Por exemplo, forneça lenços de papel, latas de lixo sem necessidade de contato, sabonete, esfregões à base de álcool que contenham pelo menos 60% de álcool, desinfetantes e toalhas descartáveis para os trabalhadores limparem suas superfícies de trabalho.
■ Exigir a lavagem regular das mãos ou o uso de esfregões à base de álcool. Os trabalhadores sempre devem lavar as mãos quando estiverem visivelmente sujas e após remover qualquer EPI.
■ Colocar sinais de lavagem das mãos nos banheiros.

Equipamento de Proteção Individual (EPI)

Embora os controles de engenharia e administrativos sejam considerados mais eficazes para minimizar a exposição ao SARS-CoV2, o EPI também pode ser necessário para evitar determinadas exposições. Embora o uso correto do EPI possa ajudar a evitar algumas exposições, ele não deve substituir outras estratégias de prevenção.

Exemplos de EPI incluem: luvas, óculos de proteção, escudos, máscaras e proteção respiratória, quando apropriado. Durante um surto de uma doença infecciosa, como o COVID-19, as recomendações para EPI específicos para ocupações ou tarefas do trabalho podem mudar dependendo da localização geográfica, avaliações de risco atualizadas para os trabalhadores e informações sobre a eficácia dos EPIs na prevenção da propagação do COVID-19.

Todos os tipos de EPI devem ser:

■ Selecionados com base no risco para o trabalhador.
■ Montados de forma adequada e periodicamente reparados, conforme aplicável (por exemplo, respiradores).

Consistente e adequadamente utilizado quando necessário.
■ Inspecionado, mantido e substituído regularmente, conforme necessário.
■ Removido, limpo e armazenado ou descartado adequadamente, conforme aplicável, para evitar a contaminação de si mesmo, de outras pessoas ou do meio ambiente.

Os empregadores são obrigados a fornecer aos seus trabalhadores os EPIs necessários para mantê-los seguros durante a realização de seus trabalhos. Os tipos de EPIs necessários durante um surto de COVID-19 serão baseados no risco de serem infectados com SARS-CoV-2 durante o trabalho e as tarefas de trabalho que podem levar à exposição.

Os trabalhadores, incluindo aqueles que trabalham a menos de um metro e meio de pacientes com suspeita de infecção por SARS-CoV-2 e que realizam procedimentos de geração de aerossóis, precisam usar respiradores:

■ Devem ser usados respiradores de máscara facial com filtro N95, aprovados pelo Instituto Nacional de Saúde e Segurança Ocupacional (NIOSH, National Institute for Occupational Safety and Health) ou melhor, no contexto de um programa abrangente de proteção respiratória por escrito que inclua testes de aptidão física, treinamento e exames médicos

O treinamento do respirador deve abordar a seleção, uso (incluindo a colocação e retirada), descarte ou desinfecção adequados, inspeção de danos, manutenção e as limitações do equipamento de proteção respiratória. 

Seguir os padrões existentes da OSHA

Os padrões existentes da OSHA podem ser aplicados para proteger os trabalhadores da exposição e infecção por SARS-CoV-2.

Embora não exista um padrão OSHA específico que cubra a exposição ao SARS-CoV-2, podem ser aplicados alguns requisitos da OSHA para impedir a exposição ocupacional ao SARS-CoV-2. Entre os mais relevantes estão:

■ Normas do Equipamento de Proteção Individual (EPI) da OSHA (na indústria em geral, 29 CFR 1910 Subparte I), que exigem o uso de luvas, proteção para os olhos e o rosto e proteção respiratória.

Classificação da exposição do trabalhador à SARS-CoV-2
O risco do trabalhador de exposição ocupacional ao SARS-CoV-2, o vírus que causa o COVID-19, durante um surto pode variar de muito alto a alto, médio ou baixo risco (atenção). O nível de risco depende, em parte, do tipo do setor, da necessidade de contato a menos de um metro e meio de pessoas conhecidas como infectadas com SARS-CoV-2 ou suspeitas de estarem infectadas com SARS-CoV-2 ou da exigência de contato repetido ou prolongado com pessoas conhecidas como, ou suspeito de estar infectado com SARS-CoV-2. Para ajudar os empregadores a determinar as precauções apropriadas, a OSHA dividiu as tarefas de trabalho em quatro níveis de exposição a riscos: risco muito alto, alto, médio e baixo. A pirâmide de risco ocupacional mostra os quatro níveis de risco de exposição na forma de uma pirâmide para representar a provável distribuição de risco. A maioria dos trabalhadores americanos provavelmente cairá nos níveis de risco de exposição mais baixo (atenção) ou risco de exposição média.

Pirâmide de Risco Ocupacional para o COVID-19

Risco de exposição muito alto

Trabalhos com risco de exposição muito alto são aqueles com alto potencial de exposição a fontes conhecidas ou suspeitas de COVID-19 durante procedimentos médicos, post-mortem ou laboratoriais específicos. Os trabalhadores desta categoria incluem:

■ Profissionais de saúde (por exemplo, médicos, enfermeiros, dentistas, paramédicos, técnicos de emergência médica) realizando procedimentos de geração de aerossóis (por exemplo, intubação, procedimentos de indução de tosse, broncoscopias, alguns procedimentos e exames dentários ou coleta invasiva de amostras) em pacientes conhecidos ou suspeitos de portar o COVID-19.
■ Pessoal de saúde ou de laboratório que coleta ou manipula amostras de pacientes conhecidos ou suspeitos de portar o COVID-19 (por exemplo, manipular culturas de pacientes conhecidos ou suspeitos de portar o COVID-19).
■ Trabalhadores do necrotério realizando autópsias, que geralmente envolvem procedimentos de geração de aerossóis, nos corpos de pessoas que possuem ou suspeitam ter o COVID19 no momento de sua morte.

Alto Risco de Exposição

Os trabalhos de alto risco de exposição são aqueles com alto potencial de exposição a fontes conhecidas ou suspeitas de portar o COVID-19. Os trabalhadores desta categoria incluem:

■ Equipe de assistência e suporte médico (por exemplo, médicos, enfermeiros e outros funcionários do hospital que precisam entrar no quarto dos pacientes) expostos a pacientes conhecidos ou suspeitos de portar o COVID-19. (Nota: quando esses trabalhadores executam procedimentos de geração de aerossol, seu nível de risco de exposição se torna muito alto.)
■ Trabalhadores de transporte médico (por exemplo, operadores de veículos de ambulância) que transportam pacientes conhecidos ou suspeitos de portar o COVID-19 em veículos fechados.
■ Trabalhadores de necrotérios envolvidos na preparação (por exemplo, para enterro ou cremação) dos corpos de pessoas que se sabe ter ou são suspeitas de portarem o COVID-19 no momento de sua morte.

Risco de Exposição Média

Trabalhos de risco de exposição média incluem aqueles que requerem contato frequente e/ou próximo de pessoas que podem estar infectadas com SARS-CoV-2 (a menos de um metro e meio) de distância, mas que não são pacientes suspeitos ou conhecidos de portarem o COVID-19. Em áreas sem transmissão comunitária contínua, os trabalhadores desse grupo de risco podem ter contato frequente com viajantes que podem retornar de locais internacionais com transmissão generalizada de COVID-19. Nas áreas em que há transmissão comunitária em andamento, os trabalhadores dessa categoria podem ter contato com o público em geral (por exemplo, nas escolas, nos ambientes de trabalho com alta densidade populacional e em alguns ambientes de varejo de alto volume).

Menor risco de exposição (atenção)

Os trabalhos com menor risco de exposição (atenção) são aqueles que não requerem contato com pessoas conhecidas como infectadas com SARS-CoV-2, ou suspeitas de estarem infectadas com SARS-CoV-2, nem contato frequente e próximo com o público em geral. Os trabalhadores desta categoria têm contato profissional mínimo com o público e outros colegas de trabalho.

Trabalhadores que moram no exterior ou viajam internacionalmente 

À medida que mudam as condições do surto de COVID-19, viajar para ou sair de um país pode não ser possível, seguro ou clinicamente recomendável. Também é provável que os governos respondam a um surto de COVID-19 impondo medidas de saúde pública que restrinjam o movimento interno e internacional, limitando ainda mais a capacidade do governo dos EUA de ajudar os americanos nesses países. É importante que os empregadores e trabalhadores planejem adequadamente, pois é possível que essas medidas sejam implementadas muito rapidamente no caso de agravamento das condições de surtos em determinadas áreas. 

Estabelecimento de um programa de saúde e segurança

Os programas de saúde e segurança são sistemas que podem reduzir substancialmente o número e a gravidade de ferimentos e doenças no local de trabalho, enquanto reduzem os custos para os empregadores.

Fonte: OSHA Occupational  Safety and Health  Administration 


Cursos Segurança do Trabalho On line Prevenção Coronavirus  

Evitar a disseminação do Coronavirus é responsabilidade de todos, além de ser um ato humanitário e cumprimento a lei de saúde pública. 

Nossa contribuição para a prevenção da disseminação do coronavirus é criar alternativas seguras para continuar a treinar as pessoas a trabalharem de forma segura e saudável. 

Por isso criamos a modalidade programa de qualificação de cursos online de segurança do trabalho. Você pode ver melhores detalhes sobre o curso online de segurança do trabalho aqui.

O MINISTÉRIO DA ECONOMIA publicou o OFÍCIO CIRCULAR SEI nº 1088/2020/ME Brasília, 27 de março de 2020 no qual trata os treinamentos de segurança do trabalho da seguinte forma:

ORIENTAÇÕES GERAIS AOS TRABALHADORES E EMPREGADORES EM RAZÃO DA PANDEMIA DA COVID-1


39. Durante o estado de calamidade pública, todos os treinamentos previstos nas Normas Regulamentadoras (NR), de segurança e saúde do trabalho, incluindo os admissionais, poderão ser realizados na modalidade de ensino a distância e caberá ao empregador observar os conteúdos práticos, de modo a garantir que as atividades sejam executadas com segurança;

Conheça abaixo os cursos online no qual dispomos: